Formatos de jogos reduzidos

O futebol consiste basicamente em duas ideias: marcar gols e impedir que os adversários o façam. O melhor modo de destacar esses objetivos é usar formatos de jogos reduzidos adaptados e aplicados a diferentes exercícios.

 

  • O menor formato de jogo é 1 contra 1.
  • Neste formato, focalizam-se os aspectos técnicos do drible e da proteção da bola.
  • As crianças devem também aprender a impor sua presença e a usar seu corpo corretamente.
  • É, simplesmente, “eu e a bola”! 

Tão logo um outro participante é incluído no exercício (2 contra 1), a situação muda. A criança pode agora passar a bola e deve decidir (por si mesma) qual opção escolher: manter a bola ou passá-la?

O nível seguinte, com vários adversários e companheiros, requer maior visão, maior noção do jogo coletivo e da criatividade. Quanto maior o número de participantes, mais complexo o jogo se torna. Por essa razão, é importante levar em conta as idades das crianças, permitindo-lhes progredir dos jogos reduzidos até jogos em campos maiores. Outro argumento chave: em jogos reduzidos, as crianças tocam a bola com mais frequência e não podem se “esconder”.

Ao contrário, elas devem buscar a bola ativamente. Os jogos reduzidos são muito intensos, e sua duração deve ser sempre controlada pelo treinador-educador. Quando houver jogadores reservas, eles devem estar disponíveis ao lado do campo para serem usados com regularidade; isso permite que o ritmo da partida / exercício continue intenso. 

guatemala3_04.jpg
bc4c8580_08.jpg

Pode-se também usar formatos sem goleiros, dependendo da idade e da habilidade das crianças. Inicialmente, é importante garantir que gols possam ser marcados com facilidade. Isso encoraja as crianças a chutar a gol, ao mesmo tempo que lhes ensina algumas técnicas. Os participantes mais avançados necessitam de maior oposição e devem aprender a marcar gols quando estão sob pressão. Em um nível mais avançado, isso requer uma melhor técnica, demandando, assim, a inclusão dos goleiros.

É importante também ensinar algumas táticas aos goleiros. Os jogos reduzidos são perfeitos para lhes ensinar a respeito do aspecto tático do jogo (chutes a gol, situações de pressão, as oportunidades de se iniciar ataques ou contra ataques, etc). Em resumo, os jogadores tocam muito mais vezes a bola em jogos reduzidos. Eles dão mais passes e se enfrentam em situações de 1 contra 1 mais frequentemente.

As repetições de situações nas quais devem tomar decisões ajudam as crianças a aprender e a vivenciar experiências positivas. Sua participação ativa no jogo aumenta sua satisfação em jogar. O jogo fi ca mais fácil de ser entendido e, principalmente, elas se divertem e têm liberdade de expressão com a bola nos pés. 

Exemplos de organização

Princípios:

Em um campo ofi cial de futebol de 11, podem caber quatro a seis campos de futebol de 5. Nestes, pode-se disputar partidas simultâneas, assim como jogos escolares ou exercícios. 

Em um terreno cujo tamanho seja a metade do padrão, podem caber dois a três campos de futebol de 5. Nestes, pode-se disputar partidas simultâneas, assim como jogos ou exercícios.  Recomenda-se:

 

  • usar as linhas normais: linha da área, linha do gol e área do gol do campo de futebol de11;
  • usar cones para sinalizar a demarcação das áreas da partida de 5 contra 5 (não é necessário traçar linhas adicionais). 

Iniciação aos sistemas de jogo em espaços reduzidos

O desafi o técnico de um jogador contra outro é parte central do jogo, uma vez que as qualidades individuais dos jogadores estão em questão. Em nossa fi losofi a de jogo, devemos levar em conta o espírito de equipe e recomendamos jogar futebol coletivamente, mas é também necessário adaptar e descobrir diferentes situações da partida usando exercícios específi cos nos quais o objetivo é o confronto de 1 contra 1.

Consequentemente, uma partida de 1 contra 1 dá a duas crianças a oportunidade de desenvolver suas táticas individuais básicas: atacar e defender. Falaremos mais sobre o posicionamento avançado uma vez que os jogadores adquiram experiência sufi ciente para serem capazes de se colocarem em espaço aberto (anexo B). Para começar a organizar partidas em campos reduzidos, damos informações gerais em relação à idade das crianças e às diferentes dimensões dos campos de jogo.

Deve-se também considerar que o nível de compreensão e de habilidade para ler o jogo, com frequência, determinará qual dimensão de campo utilizar. A sugestão relativa ao número de jogadores de acordo com o campo de jogo depende da proposta elaborada durante o desenvolvimento do plano de treinamento. 

Dependendo dos objetivos, pode-se argumentar que todo tipo de campo pode ajudar a melhorar a qualidade do jogo. O número de jogadores depende, principalmente, da infraestrutura disponível, assim como dos objetivos a serem alcançados. Consequentemente, todos os tipos de organização são vistos como positivos se há uma ligação direta entre o objetivo e o tipo de jogo ou exercício praticado.

Uma transição lógica de sistemas de jogo seria, por exemplo, que a partida de 3 contra 3 se torne, eventualmente, 9 contra 9, passando por várias confi gurações intermediárias, tais como 4 contra 4, 5 contra 5, 6 contra 6, 7 contra 7 e 8 contra 8. Ter uma vantagem numérica também oferece uma grande fl exibilidade tática.

O quadro da página 66 mostra que o campo de jogo que os jogadores usarão depende da sua idade, mas também do número de participantes e, especialmente, das suas qualidades. Apenas o treinador-educador é capaz de julgar o nível dos jogadores e, portanto, de decidir os formatos de partidas a serem usados. 

Grassroots

Football for everyone